adultério

ADULTÉRIO

Uma esposa ainda jovem confiara-nos seu caso. Achamos válido registrá-lo como elucidário para outros corações que atravessam idênticas situações.

Descobriu-se lesada afetivamente pela conduta menos responsável de seu marido e, amargurada, procurou, por várias vezes, consolar-se, buscando a presença amiga de Chico Xavier.

Houve um dia, porém, em que, sentindo-se em desventura maior, compareceu a reunião do Grupo Espírita de Prece, na esperança de encontrar alívio com aquele coração profundamente ligado ao Senhor.

Não foi sem mágoa que trouxe à memória a figura daquele que impreterivelmente se impusera como rival. Diante do Chico, deixou que seus sentimentos aflorassem e indagou aflita:

- Chico, o que fazemos para aceitar as pessoas que entram violentamente no direito de felicidade nossa?

- Minha filha, quando Cristo nos exortou a perdoar setenta vezes sete vezes, não estava só nos dando um código de moral, mas também de saúde do corpo. Quem perdoa, imuniza-se, cria anticorpos... Se o mal não está com você, não lhe dê cadeira!

...........................Confiou-me a estimada irmã que, quando Chico lhe deu esta resposta, ela, antes, jamais se sentira envolvida por contagiantes vibrações do amor, carinho e compreensão. Saturara seu espírito de fluidos superiores, fortalecendo o coração para os duros embates da vida.

Livro “Encontros com Chico Xavier”