Chico Xavier

Chico Xavier
Chico Xavier
Francisco Cândido Xavier
Nascimento 2 de Abril de 1910
Pedro Leopoldo
Falecimento 30 de Junho de 2002
Uberaba
Ocupação Médium, um dos expoentes do Espiritismo no Brasil

Francisco Cândido Xavier (Pedro Leopoldo, 2 de abril de 1910Uberaba, 30 de junho de 2002), mais conhecido popularmente por Chico Xavier, notabilizou-se como médium [1][2] e célebre divulgador do Espiritismo no Brasil.

Nascimento

Nascido em Pedro Leopoldo, cidade do interior de Minas Gerais, era filho de Maria João de Deus e João Cândido Xavier. Educado na fé católica, Chico teve seu primeiro contato com a Doutrina Espírita em 1927[3], após fenômeno obsessivo verificado com uma de suas irmãs. Passa então a estudar e a desenvolver sua mediunidade que, como relata em nota no livro Parnaso de Além-Túmulo, somente ganhou maior clareza em finais de 1931.

Infância

Segundo biógrafos, a mediunidade de Chico teria se manifestado pela primeira vez aos quatro anos de idade[4], quando ele respondeu ao pai sobre ciências, durante conversa com uma senhora sobre gravidez. Ele dizia ver (clarividência) e ouvir (clariaudiência) os espíritos e conversava com eles. Aos 5 anos conversava com a mãe, já desencarnada[4]. Na casa da madrinha, foi muito maltratado, chegando a levar uma garfada na barriga. Aos sete anos de idade, saiu da casa da madrinha para voltar a morar com o pai, já casado outra vez. Ele, para ajudar nas despesas da casa trabalhava e estudava em escola pública. Por conseqüência, dormia apenas sete horas por dia.

Psicografias

Alegoria que representa, segundo a ótica espírita, o médium Chico Xavier psicografando uma mensagem do Espírito de Emmanuel, (por André Koehnne).

Chico Xavier psicografou quatrocentos e doze livros[5]. Nunca admitiu ser o autor de nenhuma dessas obras. Reproduzia apenas o que os espíritos lhe ditavam[3]. Por esse motivo, não aceitava o dinheiro arrecadado com a venda de seus livros.[6] Vendeu mais de 20 milhões de exemplares[7]. Cedeu os direitos autorais para organizações espíritas e instituições de caridade, desde o primeiro livro[4][8].

Suas obras são publicadas pelo Centro Espírita União, Casa Editora O Clarim, Edicel, Federação Espírita Brasileira, Federação Espírita do Estado de São Paulo, Federação Paulista do Rio Grande do Sul, Fundação Marieta Gaio, Grupo Espírita Emmanuel s/c Editora, Comunhão Espírita Cristã, Instituto de Difusão Espírita, Instituto de Divulgação Espírita André Luiz, Livraria Allan Kardec Editora, Editora Pensamento e União Espírita Mineira.

Seu primeiro livro, Parnaso de Além-Túmulo, com 256 poemas atribuídos a poetas mortos, entre eles os portugueses João de Deus, Antero de Quental e Guerra Junqueiro, e os brasileiros Olavo Bilac, Cruz e Sousa e Augusto dos Anjos, foi publicado pela primeira vez em 1932 [3]. O livro causou muita polêmica nos círculos literários da época. O de maior tiragem foi Nosso Lar, com cerca de milhão e trezentas mil cópias vendidas[7], atribuídao ao espírito André Luiz, primeiro volume da coleção de 17 obras, todas psicografadas por Chico Xavier, algumas delas em parceria com o médico mineiro Waldo Vieira.

Uma de suas psicografias mais famosas, e que teve repercussão mundial, foi a do caso de Goiânia em que José Divino Nunes, acusado de matar o melhor amigo, Maurício Henriques, foi inocentado pelo juiz que aceitou como prova válida (entre outras que também foram apresentadas pela defesa) um depoimento da própria vítima, já falecida, através de texto psicografado por Chico Xavier. O caso aconteceu em outubro de 1979, na cidade de Goiânia, Goiás. Assim, o presumido espírito de "Maurício" teria inocentado o amigo dizendo que tudo não teria passado de um acidente.

Obras assistenciais

Chico é lembrado principalmente por suas obras assistenciais em Uberaba, cidade onde faleceu em Junho de 2002. Nos anos 70 passou a ajudar pessoas pobres com o dinheiro da vendagem de seus livros, tendo para tanto criado uma fundação.

Movimento espírita

O mais conhecido dos espíritas brasileiros contribuiu para expandir o movimento espírita brasileiro e encorajar os espíritas a revelarem sua adesão à doutrina sistematizada por Allan Kardec. Sua credibilidade serviu de incentivo para que médiuns espíritas e não-espíritas realizassem trabalhos espirituais abertos ao público.

Falecimento

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim
Chico Xavier

Chico Xavier faleceu aos 92 anos de idade em decorrência de parada cardíaca[10]. Conforme relatos de amigos e parentes próximos, Chico teria pedido a Deus para morrer em um dia em que os brasileiros estariam muito felizes, e que o país estaria em festa, por isso ninguém ficaria triste com seu passamento. O país festejava a conquista da Copa do Mundo de futebol de 2002 no dia de seu falecimento. Chico foi eleito o mineiro do século XX, seguido por Santos Dumont e Juscelino Kubitschek Recentemente, iniciou-se a construção de um centro em sua homenagem[11].

Principais obras psicografadas

Ano Obra Autor espiritual Editora Notas
1932 Parnaso de Além-Túmulo Vários autores

FEB
[12]
1937 Crônicas de Além-Túmulo Humberto de Campos

FEB
[13]
1938 Emmanuel Emmanuel

FEB
[14]
1938 Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho Humberto de Campos

FEB
1938 A Caminho da Luz Emmanuel

FEB
1939 Há Dois Mil Anos Emmanuel

FEB
1940 Cinqüenta Anos Depois Emmanuel

FEB
1941 O Consolador Emmanuel

FEB
[15]
1942 Paulo e Estevão Emmanuel

FEB
1942 Renúncia Emmanuel

FEB
1944 Nosso Lar André Luiz

FEB
1944 Os Mensageiros André Luiz

FEB
1945 Missionários da Luz André Luiz

FEB
1945 Lázaro Redivivo Irmão X

FEB
[16]
1946 Obreiros da Vida Eterna André Luiz

FEB
1947 Volta Bocage Bocage

FEB
1948 No Mundo Maior André Luiz

FEB
1948 Agenda Cristã André Luiz

FEB
1949 Voltei Irmão Jacob

FEB
1949 Caminho, Verdade e Vida Emmanuel

FEB
1949 Libertação André Luiz

FEB
1950 Jesus no Lar Neio Lúcio

FEB
1950 Pão Nosso Emmanuel

FEB
1952 Vinha de Luz Emmanuel

FEB
1952 Roteiro Emmanuel

FEB
1953 Ave, Cristo! Emmanuel

FEB
1954 Entre a Terra e o Céu André Luiz

FEB
1955 Nos Domínios da Mediunidade André Luiz

FEB
1956 Fonte Viva Emmanuel

FEB
1957 Ação e Reação André Luiz

FEB
1958 Pensamento e Vida Emmanuel

FEB
1959 Evolução em Dois Mundos André Luiz

FEB
1960 Mecanismos da Mediunidade Waldo Vieira

FEB
[17]
1960 Religião dos Espíritos Emmanuel

FEB
1961 O Espírito da Verdade diversos espíritos

FEB
1963 Sexo e Destino André Luiz

FEB
1968 E a Vida Continua... André Luiz

FEB
1970 Vida e Sexo Emmanuel

FEB
1971 Sinal Verde André Luiz

Comunhão Espírita
Cristã
1977 Companheiro Emmanuel

Instituto de Difusão
Espírita(IDE)
1985 Retratos da Vida Cornélio Pires

IDE/CEC
1986 Mediunidade e Sintonia Emmanuel

CEU
1991 Queda e Ascensão da Casa dos Benefícios Bezerra de Menezes

GER
1999 Escada de Luz diversos espíritos

CEU
[18]




Fonte: Wikipedia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Chico_Xavier